Monday, June 22, 2009

Não cedendo às pressões externas...


"Por isso não desfalecemos; mas, ainda que nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia." 2 Coríntios 4.16


O mundo a cada dia que passa pressiona ainda mais! É tanta pressão externa, que quando vemos, muitas vezes acabamos cedendo e falhando. Nos corrompendo. E justificativa para nossos erros é o que não falta. Culpa de A, culpa de B, culpa de C, culpa do outro motorista, culpa do professor, culpa do meu amigo (ou ex-amigo), culpa do prefeito, culpa do governador... quiçá até mesmo há quem culpe Deus... (misericórdia!!! ) Mas até concordo que seja muito difícil assumirmos a culpa pelos nossos erros. E as justificativas são de fato mais cômodas. Natural não é... embora o mundo hoje tente nos tragar com a idéia de que é. Mas quem disse também que temos que mais uma vez ceder a este tipo de idéia?!

Assumir um erro é confrontar nossa vida de forma direta. E isso muitas vezes de fato incomoda. Principalmente quando um erro gera consequências importantes e decisivas. Confrontar a nossa própria vida geralmente expõe a outros grandes problemas... então, preferimos logo abafar o caso, e culpar qualquer outra coisa ou pessoa que nos apareça pela frente!

Mas ontem vi algo interessante na televisão. Enquanto procurava um canal, me deparei com uma experiência sendo demonstrada na telinha. E aquilo me chamou a atenção. O homem estava com uma máquina para tirar o ar de dentro de um vasilhame, e colocava dentro deste algum outro objeto. E de forma interessante, colocou uma bexiga com um pouco de ar dentro. O mais interessante de tudo é que ao retirar o ar de fora... a pressão externa que é feita... faz com que a bexiga vá crescendo, crescendo, crescendo até tomar praticamente todo o espaço de dentro da vasilha.

E o que isso me ensinou? Por mais que o mundo lá fora tente nos sufocar, fazendo muita pressão, não podemos ceder a ele, mas devemos ocupar nosso espaço e fazer a diferença, mostrando a que viemos. Não estamos aqui simplesmente por estarmos. Eu tenho um propósito em minha vida. E dessa forma, eu não posso ficar esperando que o mundo me pressione ao ponto de que eu venha a desistir de ser quem eu sou. Pelo contrário, eu preciso mostrar ao mundo quem eu sou! Eu preciso ocupar meu espaço, e não deixar que o mundo ocupe o espaço em minha vida.

Se eu não fizer a diferença pelo que sou e pelo que acredito que posso fazer, provavelmente o mundo de fato tentará me tragar. Mas que eu possa ir além...assim como a bexiga, ocupar meu espaço no mundo e através de minhas atitudes, minhas ações, que eu possa ir além...

1 comment:

Danilo Fernandes said...

Clarisse!

Otima reflexão. Sucesso nesta sua empreitada na blogoesfera. Seu blog promete!

Aproveito a oportunidade para apresentar o Genizah: Um blog cristão diferente que oferece ótimo conteúdo protestante, muito humor e bom combate às heresias e ao sincretismo que vem solapando a igreja evangélica.

Vamos nos seguir. Te vejo por lá!

A Paz e o Bem!

Abraços,

Danilo Fernandes

http://www.genizahvirtual.com/